RD Online
Agroredenção
RD ANÚNCIO G
Cervejaria da Praça
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
Laboratório Santo Antônio Análises Clínicas de Coronel Bicaco
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
Casa Nova de Redentora
Lemarco
JP Celulares Redentora
Anúncio Rádio RD Online
Farmácia Santa Inês Rede Associadas
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Via Tec telecom
Clean Lar
UNOPAR INFE
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
UNOPAR VESTIBULAR
Banner Site
C-TEC REDENTORA
Santos Monitoramento
Mânica Contabilidade
Physical Life Stúdio de Musculação
Cotricampo

Perícia identifica envolvimento de dois homens na morte da adolescente indígena Daiane Griá Sales

15/09/2021 10h03
Por: Depto de Jornalismo .
Fonte: Com informações do IGP/RS
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A perícia do IGP-RS comprovou a presença de dois homens na cena do crime que tirou a vida de uma menina de 14 anos, moradora do setor Laranjeira na Terra Indígena do Guarita em Redentora. Daiane Sales foi encontrada morta em 4 de agosto, na localidade de Posse Ferraz, vizinho ao setor Estiva.

As análises realizadas pelo Departamento de Perícias Laboratoriais do IGP  identificaram o DNA de um indivíduo na região dos mamilos da vítima. A análise de fluídos biológicos indicou que havia saliva humana em material coletado da região mamilar. Os peritos ainda analisaram amostras de várias roupas, recolhidas no local onde o corpo foi encontrado. Eles identificaram o perfil genético compatível com o de outro indivíduo em um moletom branco. 

Dois testes (utilizando a luz forense e um imunocromatográfico) indicaram a presença de sêmen na calcinha da menina.  Novos testes estão sendo realizados nos materiais encaminhados à perícia.  As análises serão liberadas em laudo complementar de DNA. A amostra coletada sob as unhas da mão da menina apresentou um perfil de mistura de múltiplos indivíduos, impossibilitando a comparação.

Além do trabalho em laboratório, foram realizadas duas perícias no local do crime, pela equipe da 6a Coordenadoria Regional de Perícias, que tem sede em Santo Ângelo. O laudo da necropsia, feita no Posto Médico-Legal do IGP em Três Passos, descartou ferimentos por arma de fogo ou arma branca, mas também constatou que os membros inferiores haviam sido atacados, provavelmente por animais. Por esta razão, não foi possível apontar, no exame de necropsia, se houve violência sexual. As amostras coletadas durante a necropsia, porém, foram fundamentais para o trabalho de perícia laboratorial, que comprovou o ato libidinoso praticado contra a menor de idade. Os Laudos foram encaminhados para a Polícia Civil e para o Ministério Público do Estado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.