RD Online
Mânica Contabilidade
Via Tec telecom
Farmácia Santa Inês Rede Associadas
Santos Monitoramento
Agroredenção
Physical Life Stúdio de Musculação
JP Celulares Redentora
UNOPAR VESTIBULAR
Laboratório Santo Antônio Análises Clínicas de Coronel Bicaco
Clean Lar
Casa Nova de Redentora
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Cotricampo
Anúncio Rádio RD Online
UNOPAR INFE
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
RD ANÚNCIO G
Lemarco
Cervejaria da Praça
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
C-TEC REDENTORA
Banner Site

Acusada de matar jovem grávida para ficar com bebê enfrentará júri em outubro

15/09/2021 09h50
Por: Depto de Jornalismo .
Fonte: Oeste Mais
Rozalba matou Flávia e usou estilete para retirar criança da barriga da vítima (Fotos: Divulgação)
Rozalba matou Flávia e usou estilete para retirar criança da barriga da vítima (Fotos: Divulgação)

O juízo da Vara Criminal da comarca de Tijucas marcou a data, o horário e o local para o julgamento de Rozalba Grime, acusada de matar a amiga de infância para retirar um bebê de seu ventre, em agosto de 2020, em Canelinha.

O magistrado José Adilson Bittencourt Júnior marcou a sessão do Tribunal do Júri para o dia 20 de outubro de 2021, às 8h, na Câmara de Vereadores do município de Tijucas. 

Em função da pandemia da Covid-19, o acesso à sessão será restrito. Apenas as partes, as testemunhas, os jurados, os advogados, os membros do Ministério Público, os agentes de segurança, os auxiliares da Justiça e os defensores públicos inscritos para o julgamento terão a entrada permitida. Caberá ao magistrado decidir pela possibilidade de acesso dos familiares da vítima e da acusada.

A mulher, que aguarda o andamento do processo presa, será julgada pelo crime de homicídio contra a jovem Flávia Godinho. Ela também responderá por tentativa de homicídio contra o bebê, subtração de incapaz, parto suposto, fraude processual e ocultação de cadáver. Os crimes contra a vida são qualificados por motivo torpe, meio cruel, traição, para ocultar outro crime e por ser contra uma mulher.

Segundo a denúncia do Ministério Público, a acusada planejou a morte de Flávia para ficar com o bebê, porque simulava uma gestão no mesmo período da vítima. Então, a acusada convidou a vítima para um chá de bebê, mas a levou para uma cerâmica desativada. Ainda de acordo com a investigação, a gestante foi golpeada por tijoladas e ficou desacordada. Assim, a acusada teria pego um estilete e retirado o bebê do ventre da vítima, que morreu de hemorragia.

A acusada teria ligado para o marido e informado sobre a suposta gestação fora de hora. Todos foram para o hospital de Tijucas, onde foi constatada a falsa gestação da acusada. O MP chegou a oferecer a denúncia contra o marido da acusada, mas depois entendeu pela improcedência do pleito.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.