RD Online
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Santos Monitoramento
RD ANÚNCIO G
Anúncio Rádio RD Online
C-TEC REDENTORA
Banner Site
Casa Nova de Redentora
Via Tec telecom
Lemarco
Farmácia Santa Inês Rede Associadas
Mânica Contabilidade
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Clean Lar
JP Celulares Redentora
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
Laboratório Santo Antônio Análises Clínicas de Coronel Bicaco
Physical Life Stúdio de Musculação
UNOPAR VESTIBULAR
Cervejaria da Praça
Cotricampo
Agroredenção
UNOPAR INFE

Rio Grande do Sul deve registrar mais ondas de frio em agosto e setembro, diz meteorologista

30/07/2021 08h56
Por: Depto de Jornalismo .
Fonte: Rádio Uirapuru
Créditos: Arquivo/Rádio Uirapuru
Créditos: Arquivo/Rádio Uirapuru

A previsão dos dias mais frios do ano se confirmou nesta semana. Os termômetros registraram mínimas abaixo de zero tanto na quarta (28), como na quinta-feira (29). Na quarta chegou a nevar e cair chuva congelada em várias cidades do Rio Grande do Sul.  De acordo com o meteorologista do Governo do Estado, Flávio Varoni, a menor temperatura registrada na região norte/noroeste gaúcha, foi na estação de Getúlio Vargas, onde marcou -3,7 º C no amanhecer de ontem.

O meteorologista explicou a diferença entre a chuva congelada e a neve. A neve é um floco, ela cai desde a nuvem até o solo em forma de floquinhos, já a chuva congelada sai da nuvem como neve e na atmosfera encontra um ar mais quente, virando água de novo, após, próximo ao solo ela congela e vira um “mini granizo”. De acordo com Varoni, é fácil de identificar a diferença.

O especialista explicou os impactos que a neve pode causar. De acordo com Varoni, o fenômeno que aconteceu nesta semana não chega a causar problemas para a agricultura ou plantas, pois foi de fraca intensidade e as cultivares dessa época estão acostumadas com dias frios. A preocupação maior é a geada e não a neve, mas mesmo assim as culturas não sofrem tanto com isso.

Varoni adianta que devemos ter mais ondas de frio ainda ao longo do mês de agosto e setembro, porém é difícil prever a intensidade, pois ainda está longe. Desse modo é possível que as temperaturas baixas possam impactar na agricultura. O meteorologista explica que caso aconteça uma geada lá em setembro, quando a planta vai estar quase na época da colheita, isso pode acabar afetando aquelas propriedades que plantaram mais cedo. Varoni finaliza dizendo que a sexta-feira (30) será bem fria ainda, mas a neve foi embora e não devemos mais ter a ocorrência do fenômeno na região.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.