RD Online
Farmácia Santa Inês Rede Associadas
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
Barbearia e Lancheria Stein
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
Santos Monitoramento
Anúncio Rádio RD Online
Auto Posto Gemelli
Lemarco
Laboratório Santo Antônio Análises Clínicas de Coronel Bicaco
Via Tec telecom
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Zé Automóveis Multimarcas
Estofaria e Vidraçaria Fanezzi
Casa Nova de Redentora
UNOPAR VESTIBULAR
UNOPAR INFE
RD ANÚNCIO G
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
JP Celulares Redentora
C-TEC REDENTORA
Cervejaria da Praça
Banner Site
Cotricampo
SERRA GAÚCHA

Polícia Civil prende 5 envolvidos em fuga de detento que culminou na morte de agente penitenciário na serra gaúcha - RD Foco

.

09/06/2021 20h56
Por: Depto de Jornalismo
Fonte: Polícia Civil RS
As prisões são resultado de uma operação integrada entre as forças de segurança do estado - Foto: Carlos Vogt/Polícia Civil
As prisões são resultado de uma operação integrada entre as forças de segurança do estado - Foto: Carlos Vogt/Polícia Civil

Em coletiva de imprensa realizada na sede do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), na manhã desta quarta-feira (09), a Polícia Civil confirmou a prisão de cinco suspeitos de terem participado da fuga de um detento da UPA de Caxias do Sul, na serra gaúcha. As prisões são resultado de uma operação integrada entre as forças de segurança do estado.

Na segunda-feira (07), três criminosos invadiram a unidade de pronto atendimento vestidos como policiais civis e efetuaram disparos de arma de fogo contra os agentes penitenciários que monitoravam o detento. O agente Clóvis Antônio Roman, de 54 anos, foi morto e outras três pessoas ficaram feridas. Conforme a Chefe de Polícia, delegada Nadine Anflor, as investigações acerca do paradeiro dos criminosos foram iniciadas ainda na noite de segunda.

O detento resgatado, que havia sido localizado pela Polícia Civil em um apartamento no centro da Capital, foi encontrado morto pelos agentes nesta manhã. Conforme um de seus comparsas - que estava no apartamento no momento da ação e também foi preso -, o foragido não queria voltar para a prisão. O homem teria se matado em um dos cômodos ao perceber a entrada da Polícia. No apartamento foi encontrada a arma usada para matar Roman. Os outros presos foram localizados no bairro Santa Cecília, na Capital, e na cidade de Portão. Também foi identificado e preso o detento que organizou o resgate de dentro da Penitenciária Estadual de Caxias do Sul, no Apanhador. Já a esposa do detento resgatado, que pagou pelo apartamento onde a Polícia localizou o foragido, foi presa na cidade de Três Cachoeiras. Uma pessoa ainda está foragida.

Durante a coletiva de imprensa, o vice-governador e secretário de Segurança Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior, solidarizou-se com a família do agente penitenciário morto e com os demais servidores da Susepe. “Esse fato é um atentado contra o Estado, contra a sociedade gaúcha”, afirmou. Ranolfo destacou, ainda, o êxito da ação que reuniu todas as forças de segurança do estado e deu prioridade máxima ao caso. “Não vamos admitir situações dessa natureza, e caso ocorram terão tratamento imediato por parte das forças de segurança pública do estado”, afirmou.

Por sua vez,  o secretário da Administração Penitenciária (Seapen), Mauro Hauschild, enalteceu a rápida resposta dada à sociedade, e, principalmente, uma resposta à família e aos servidores da Susepe: "foram 18 horas de operação de revista feita pelos servidores penitenciários no Presídio Regional de Caxias do Sul e na Penitenciária Estadual de Caxias do Sul, buscando informações para contribuir nas investigações da Polícia Civil e no trabalho da Brigada Militar. Trabalhamos forte na busca de dados”, ressaltou.

Na avaliação da Chede de Polícia, delegada Nadine, “o trabalho integrado das forças de segurança foi realizado com absoluta excelência, e as investigações prosseguirão a fim de levar todos os envolvidos à Justiça,” destacou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.