RD Online
Casa Nova de Redentora
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
Laboratório Santo Antônio Análises Clínicas de Coronel Bicaco
Auto Posto Gemelli
UNOPAR INFE
Via Tec telecom
JP Celulares Redentora
Farmácia Santa Inês Rede Associadas
Anúncio Rádio RD Online
Barbearia e Lancheria Stein
UNOPAR VESTIBULAR
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Cotricampo
Banner Site
Cervejaria da Praça
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Estofaria e Vidraçaria Fanezzi
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
C-TEC REDENTORA
RD ANÚNCIO G
Zé Automóveis Multimarcas
Santos Monitoramento
Lemarco
BRASILEIRÃO

Inter é goleado pelo Fortaleza e segue sem vencer no Brasileirão - RD Foco

Colorado perdeu por 5 a 1 no Castelão e segue com um ponto na tabela

06/06/2021 19h44
Por: Depto de Jornalismo
Fonte: Gaúcha ZH/Valter Junior
Foto: Ricardo Duarte/Internacional / Divulgação
Foto: Ricardo Duarte/Internacional / Divulgação

O tamanho de uma derrota pode ser medido pela quão empoeirada é a estatística na qual ela se encaixa. A deste domingo, no Castelão, remonta a 2015. Há seis anos o Inter não sofria cinco gols em uma partida do Brasileirão como no 5 a 1 sofrido para o Fortaleza. A goleada transformou o início trôpego no torneio em um desastre que as proporções serão sentidas nas próximas horas. 

Na teoria dos discursos, todos os jogos têm o mesmo peso nos pontos corridos. Na prática das decisões, não é assim. Mais do que a divulgação que vai a campo, o que o Inter faz uma hora antes das partidas é apresentar as surpresas do dia de Miguel Ángel Ramírez. A da vez foi a escalação de uma equipe reserva para o segundo jogo do Brasileirão. Do time que bateu o Vitória pela Copa do Brasil no meio da semana somente Moisés, Caio Vidal, Yuri Alberto e Patrick foram mantidos. A consequência da formação foi a pior atuação sob o comando do espanhol.

Os primeiros instantes de partida fizeram parecer que o Inter apresentaria problemas recorrentes. Logo no sexo passe do time na partida, a bola chegou aos pés do goleiro Marcelo Lomba. Foi apenas uma ilusão. Sequer as longas trocas de passes entre zagueiros, goleiro e primeiro volante o time conseguiu aplicar. A marcação dos cearenses sufocou a saída dos gaúchos e manteve a bola com certa constância nas imediações do gol colorado.

O vigor aplicado em campo tinha intensidades diferentes. O Fortaleza jogava para resolver o problema o quanto antes. Sem vislumbrar uma solução em campo, o Inter empilhou erros coletivos e individuais e, fisicamente, perdida dividida atrás de dividida. Sem troca de passes e força na marcação, Lomba trabalhou menos com os pés e muito com as mãos. 

O espaço às costas dos defensores permitiu que o campeão cearense conseguisse chegar a zonas perigosas com assiduidade. Em três momentos, o goleiro colorado interviu em cruzamentos venenosos. Apesar de pressionar com constância, os dois primeiros gols do Fortaleza saíram em cobranças de faltas. 

O primeiro, aos 17 minutos, teve cobrança em que Lomba evitou que a bola entrasse no ângulo. No rebote, o ex-zagueiro colorado abriu o placar. O segundo saiu de levantamento da intermediária. Desta vez, Robson desviou livre na risca da pequena área. O lance tem como origem uma falta que resultou no cartão vermelho dado ao zagueiro Pedro Henrique que, com as travas da chuteira, atingiu o rosto do adversário. Entre um gol e outro, Lomba salvou chute frente a frente com David, em uma das muitas falhas da defesa colorada.

Parecia que não podia ser pior. Mas, no futebol, sempre pode piorar. O placar foi dilatado no primeiro minuto do segundo tempo. Em nova falha da defesa, em que havia um latifúndio à frente da área, Yago Pikachu entrou livre para colocar a bola no canto.

Tragédia teve mais um capítulo. Em mais um lance medonho do sistema defensivo gaúcho, Deivid irrompeu a grande área. Seu chute, entretanto, foi torto. Nada que Zé Garbiel não pudesse "consertar". Ao tentar afastar, tocou contra o próprio gol. Era o 4 a 0 com 9 minutos.

Praxedes desviando de cabeça cobrança de falta, conseguiu descontar, mas nada capaz de minimizar a preocupação do início cambaleante do Inter no Brasileirão. Por que ainda deu tempo para Wellington Paulista, de cabeça, na pequena área, marcasse quinto. Aí, sim, não tinha mais como piorar.

Campeonato Brasileiro - 6/6/2021

Fortaleza (5)

Felipe Alves; Tinga, M. Benevenuto, Titi, (Ronald,39’/2ºT); Yago Picachu, Felipe (Éderson 14’/2ºT), M. Jussa, M. Vargas, (Luiz Henrique 14’/2ºT), L. Crispim, Robson (Romarinho 25’/2ºT), David (Romarinho 25’/2ºT)

Técnico: Juan Pablo Vojvoda

Inter (1)

Marcelo Lomba; Heitor, (Saravia 12’/2ºT), Pedro Henrique, Zé Gabriel, Moisés; Rodrigo Lindoso, (Johnny, 30’/2ºT), Nonato, (Boschilia 7’/2ºT), Praxedes; Caio Vidal, (Cuesta, Int), Yuri Alberto, Patrick (Edensilson 12’/2ºT).

Técnico: Miguel Ángel Ramírez

Gols: Titi, aos 17, e Robson, aos 45min do 1ºT;Yago Picachu, a 1min, Zé Gabriel (contra), aos 9min, Praxedes, aos 16min, e Wellington Paulista, aos 41min do 2ºT

Cartões Amarelos: Caio Vidal, Moisés, Thiago Galhardo e Praxedes (I)

Cartão vermelho: Pedro Henrique e Vitor Hugo (I)

Arbitragem: Paulo Roberto Alves Junior, auxiliado por Ivan Carlos Bohn e Sidmar dos Santos Meurer (trio paranaense).

Local: Estádio Castelão, em Fortaleza-CE

Próximo jogo – Quinta-feira, 10/6 -21h30min

Inter x Vitória

Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil)

Informações Gaúcha ZH

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.