RD Online
Farmácia Santa Inês Rede Associadas
Cotricampo
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Zé Automóveis Multimarcas
Via Tec telecom
JP Celulares Redentora
Lemarco
Cervejaria da Praça
Banner Site
Decorações, Festas e Eventos Arco-Íris
Anúncio Rádio RD Online
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
UNOPAR INFE
UNOPAR VESTIBULAR
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Auto Posto Gemelli
Santos Monitoramento
Jucerlei Dutra Advocacia
C-TEC REDENTORA
Barbearia e Lancheria Stein
ASM Oficina de Música
Estofaria e Vidraçaria Fanezzi
Laboratório Santo Antônio Análises Clínicas de Coronel Bicaco
RD ANÚNCIO G
Casa Nova de Redentora

Soja bate novo recorde na exportação e vendas de milho crescem mais de 1800%

04/05/2021 15h43
Por: Depto de Jornalismo .
Fonte: Canal Rural
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

“Os números de abril vieram dentro do esperado diante do atraso da colheita observado nesta temporada. As vendas da soja brasileira ao exterior devem continuar fortes, uma vez que os trabalhos no campo estão finalizados em algumas áreas”, diz Luiz Fernando Gutierrez, analista da Safras & Mercado, pontuando que o Brasil já tem o registro de 10 milhões de toneladas a serem embarcadas em maio.

O ritmo das vendas no acumulado do ano também é inédito. De janeiro a abril, as exportações somam 33,6 milhões de toneladas, quebrando o antigo recorde de 31,9 alcançado nos quatro primeiros meses do ano em 2020.

Segundo Gutierrez, o cenário composto de alta do dólar e forte demanda pela soja do Brasil, observado desde o ano passado, está mais uma vez ditando o ritmo das vendas externas para esta temporada. Em abril, o ministério da Economia estima que a China foi responsável por 70% das exportações de soja em grão do Brasil. Para maio, o analista acredita que o volume alcance 15 milhões de toneladas.

Além da soja, milho teve bom desempenho em abril

As exportações brasileiras de milho registraram uma alta de 1854% em abril, com o envio de 130,876 mil toneladas ao exterior. Em igual período de 2020, os embarques somaram apenas 6,6 mil toneladas. Segundo o analista da Safras, a elevação pode ser explicada pelos bons preços do milho na Bolsa de Chicago, onde os produtores seguem cumprindo contratos antigos.

São esses contratos, aliás, que dão suporte para um volume de exportação que pode ser considerado elevado, devido à falta do grão no mercado. Para a temporada 2021, a Safras estima uma forte queda nas vendas externas do milho, totalizando 27 milhões de toneladas, contra as 34 milhões registradas em 2020.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.