RD Online
C-TEC REDENTORA
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
Cotricampo
Barbearia e Lancheria Stein
JP Celulares Redentora
Anúncio Rádio RD Online
UNOPAR VESTIBULAR
Via Tec telecom
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
Decorações, Festas e Eventos Arco-Íris
ASM Oficina de Música
Cervejaria da Praça
Banner Site
RD ANÚNCIO G
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
UNOPAR INFE
Zé Automóveis Multimarcas
Auto Posto Gemelli
Farmácia Santa Inês Rede Associadas
Laboratório Santo Antônio Análises Clínicas de Coronel Bicaco
Casa Nova de Redentora
Lemarco
Jucerlei Dutra Advocacia
Estofaria e Vidraçaria Fanezzi
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Santos Monitoramento

Polícia Federal deflagra operação no RS e SC e desarticula quadrilha que lucrou cerca de R$ 2 milhões em fraudes no Auxílio Emergencial

03/05/2021 15h36
Por: Depto de Jornalismo .
Fonte: O Sul
Foto: Polícia Federal/Divulgação
Foto: Polícia Federal/Divulgação

A PF (Polícia Federal) deflagrou, na manhã desta segunda-feira, (03) a Operação Yandex com o objetivo de desarticular uma organização criminosa responsável por saques do Auxílio Emergencial mediante fraude em diversos Estados do Brasil. Policiais federais cumpriram quatro mandados de busca e apreensão em Canoas e Parobé, no Rio Grande do Sul, e em Palhoça e Jurerê Internacional, no Estado de Santa Catarina.

A investigação da Polícia Federal teve início em maio de 2020, quando a Brigada Militar, em uma ação no município de Taquara, apreendeu um caderno com CPFs de possíveis beneficiários do Auxílio Emergencial, endereços de e-mail e senhas com indicação de saques e valores. Na abordagem, também foram apreendidas armas e drogas.

Em posse dessas informações, a Polícia Federal realizou diligências para identificar a forma de atuação do grupo criminoso, que consistia na obtenção de CPFs de potenciais beneficiários do Auxílio Emergencial, criação de e-mails e cadastramento no site da Caixa Econômica Federal e, após o depósito dos valores, o pagamento de boletos de compras realizadas pela organização criminosa.

A estimativa é de que o grupo tenha fraudado cerca de 3 mil benefícios em diversos Estados do Brasil, principalmente no Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. O prejuízo aos cofres públicos pode chegar a R$ 2 milhões.

Nas buscas realizadas na manhã desta segunda-feira, foram apreendidos R$ 60 mil em espécie e documentos de interesse da investigação. Também foram presas três pessoas em flagrante por posse de arma de fogo e de drogas em Jurerê Internacional e Canoas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.