RD Online
ASM Oficina de Música
Via Tec telecom
Farmácia Santa Inês Rede Associadas
Cervejaria da Praça
UNOPAR VESTIBULAR
C-TEC REDENTORA
UNOPAR INFE
Auto Posto Gemelli
Banner Site
Santos Monitoramento
Casa Nova de Redentora
Estofaria e Vidraçaria Fanezzi
Anúncio Rádio RD Online
Barbearia e Lancheria Stein
Lemarco
RD ANÚNCIO G
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Laboratório Santo Antônio Análises Clínicas de Coronel Bicaco
Cotricampo
JP Celulares Redentora
Decorações, Festas e Eventos Arco-Íris
Jucerlei Dutra Advocacia
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Zé Automóveis Multimarcas
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional

Argentina tem recorde de casos de coronavírus e planeja toque de recolher

07/04/2021 14h12
Por: Depto de Jornalismo .
Fonte: O Sul
Governo prepara um toque de recolher noturno, com fechamento de bares e restaurantes à noite, e quer limitar o transporte público e a circulação de pessoas. Foto: Reprodução
Governo prepara um toque de recolher noturno, com fechamento de bares e restaurantes à noite, e quer limitar o transporte público e a circulação de pessoas. Foto: Reprodução

A Argentina confirmou 20.870 novos casos de Covid-19 em 24 horas, o maior número diário de infectados desde o início da pandemia, informou o Ministério da Saúde do país na terça-feira (06). O número mais alto até então havia sido registrado em 21 de outubro, quando foram confirmados 18.326 novos casos.

O país teve também 163 novas mortes. O país é o 15º com mais infectados no mundo (2,4 milhões) e o 13º com mais óbitos (56 mil), segundo a Universidade Johns Hopkins.

A província de Buenos Aires concentrou metade dos novos casos e também registrou recorde de infectados (10.402). O anterior havia sido em 31 de março deste ano (8.063).

A ministra da Saúde do país, Carla Vizzotti, afirmou que a segunda onda da pandemia “já é um fato” e pediu o reforço dos cuidados pessoais. Segundo o jornal “El Clarín”, o governo argentino prepara um toque de recolher noturno, para fechar bares e restaurantes à noite, e quer limitar o transporte público e a circulação de pessoas.

Vacinação na Argentina

Em meio ao avanço da segunda onda, a Argentina aplicou até o momento 4,4 milhões de vacinas contra a Covid-19, segundo o Our World in Data.

O número equivale a 9,74 doses a cada 100 habitantes, número um pouco superior à média mundial (8,90), mas inferior ao dos vizinhos Brasil (10,75), Uruguai (24,95) e Chile (59,13).

Apesar de ter tomado duas doses da vacina russa Sputnik V, o presidente argentino, Alberto Fernández, pegou Covid-19. Ele apresentou sintomas da doença e está em isolamento.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.