RD Online
Cotricampo
Via Tec telecom
Jucerlei Dutra Advocacia
JP Celulares Redentora
Estofaria e Vidraçaria Fanezzi
Barbearia e Lancheria Stein
Zé Automóveis Multimarcas
Farmácia Santa Inês Rede Associadas
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
ASM Oficina de Música
Casa Nova de Redentora
Anúncio Rádio RD Online
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
UNOPAR INFE
Santos Monitoramento
RD ANÚNCIO G
Laboratório Santo Antônio Análises Clínicas de Coronel Bicaco
Lemarco
Cervejaria da Praça
C-TEC REDENTORA
UNOPAR VESTIBULAR
Decorações, Festas e Eventos Arco-Íris
Banner Site
Auto Posto Gemelli
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional

Hospitais receberão R$ 39 milhões para instalação de ambulatórios pós-Covid no RS

02/03/2021 15h30
Por: Depto de Jornalismo .
Fonte: SES-RS
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Secretaria da Saúde (SES) anunciou, no final da tarde desta segunda-feira (1°/3), durante reunião com integrantes da Federação das Santas Casas do RS, o investimento de R$ 39 milhões no enfrentamento à pandemia no Estado. Os recursos estão previstos na Portaria 3.896. 

Serão destinados R$ 32 milhões para hospitais de municípios gaúchos que atuam em Gestão Plena de Saúde e também para a Gestão Estadual, que servirão ao custeio de serviços de saúde, assistência farmacêutica, insumos, leitos e outros. O parâmetro para a distribuição dos recursos é o número de leitos Covid em operação. Os R$ 7 milhões restantes serão investidos na estruturação de 10 ambulatórios pós-Covid no Estado.

“Serão ambulatórios especializados para tratar pacientes que ficaram com sequelas da doença”, explica a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

Na mesma reunião, Arita informou que a SES irá pagar os cerca de 250 leitos habilitados pelo Ministério da Saúde em hospitais sob gestão estadual que não tiveram as habilitações renovadas por portaria. São leitos que funcionam há alguns meses sem custeio em função da falta de renovação pelo ministério.

O Estado irá colocar em dia os pagamentos referentes aos meses de janeiro e fevereiro. O Ministério da Saúde deve pagar de forma retroativa os hospitais, ainda sem data confirmada.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.