RD Online
Cotricampo
Decorações, Festas e Eventos Arco-Íris
Auto Posto Gemelli
Lancheria e Barbearia Stein
Banner Site
UNOPAR INFE
RD ANÚNCIO G
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
C-TEC REDENTORA
Casa Nova de Redentora
Lemarco
CENTER MÓVEIS REDENTORA
Ceducar Centro Educacional Carla Renati Andriguetto
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Anúncio Rádio RD Online
Via Tec telecom
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
Jocelia Borges
ASM Oficina de Música
Estofaria e Vidraçaria Fanezzi
Cervejaria da Praça
ZÉ AUTOMÓVEIS
UNOPAR VESTIBULAR
Joalheria, Floricultura e Casa das Linhas Pereira
JP Celulares Redentora
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
FALTA DE LEITO UTI

Paciente morre de Covid esperando leito de UTI em Boqueirão do Leão, relata prefeito

Município vai prorrogar medidas do estado de calamidade pública e lockdown

23/02/2021 08h41
Por: Depto de Jornalismo
Fonte: Samantha Klein/Rádio Guaíba
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Um paciente morreu aguardando transferência para um leito de UTI Covid, nesse fim de semana em Boqueirão do Leão, no Vale do Rio Pardo. É o que relata o prefeito da cidade, Jocemar Barbon. A vítima recebia atendimento no hospital Dr. Anuar Elias Aesse, mas o agravamento do quadro exigia transferência para uma unidade de terapia intensiva.

Em um comunicado, a Secretaria Estadual da Saúde pontua que o paciente internou no dia 18, com quadro moderado, piorando no dia seguinte, por situações que agravaram a falta de oxigenação (hipóxia). A SES garante que a solicitação de leito ocorreu às 15h30min do dia 19, à Central Estadual de Regulação. “Quando a Central determinou remoção para hospital de maior complexidade, o paciente teve uma parada cardíaca e não tinha mais condições de transporte. Morreu às 2h do dia 20/2”, atesta a nota. De acordo com a Pasta, o entendimento é de que o paciente teve agravamento do quadro, o que levou à parada cardíaca antes de a regulação ter tido “tempo hábil para a transferência”.

O prefeito de Boqueirão também enfatiza que a situação é “extremamente preocupante” no que se refere à falta de oxigênio no único hospital do município, que não conta com leitos de UTI. As internações ocorrem em leitos de enfermaria. Barbon disse que a demanda vai ser parcialmente suprida pela Prefeitura de Canoas, que vai fornecer o insumo.

A cidade esteve sob lockdown durante final de semana para tentar conter a disseminação do novo coronavírus. A restrição às atividades econômicas deve ser retomada na próxima sexta-feira ou até antes, conforme o agravamento da pandemia. Durante a semana, as atividades econômicas não foram interrompidas, mas o comércio deve fechar às 19h.

 

Por Samantha Klein/Rádio Guaíba

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.