RD Online
Estofaria e Vidraçaria Fanezzi
JP Celulares Redentora
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Lancheria e Barbearia Stein
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
ZÉ AUTOMÓVEIS
Decorações, Festas e Eventos Arco-Íris
Ceducar Centro Educacional Carla Renati Andriguetto
UNOPAR INFE
Cervejaria da Praça
Auto Posto Gemelli
C-TEC REDENTORA
Casa Nova de Redentora
Anúncio Rádio RD Online
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
RD ANÚNCIO G
Banner Site
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
CENTER MÓVEIS REDENTORA
Via Tec telecom
ASM Oficina de Música
Cotricampo
UNOPAR VESTIBULAR
Joalheria, Floricultura e Casa das Linhas Pereira
Lemarco
VACINAS FALSAS

Senacon adotas medidas para combater comércio de vacinas falsificadas

As ações terão apoio dos Procons, da Polícia Federal e Receita Federal

16/01/2021 11h41
Por: Depto de Jornalismo
Fonte: Agência Brasil
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça e Segurança Pública deu início às medidas de combate à comercialização de vacinas falsificadas contra a covid-19. A prática de venda dessas supostas vacinas foi comunicada pelo Procon de São Paulo.

De acordo com o secretário executivo do Comitê Nacional de Combate à Pirataria, vinculado à Secretaria Nacional do Consumidor, Guilherme Vargas, disse que a questão é urgente. “Avaliamos a urgência do tema e acionamos a Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] e as outras pastas do para estabelecer estratégia conjunta para garantia a saúde e a segurança dos consumidores brasileiros”.

Com a atuação conjunta, ações de fiscalização e de repressão serão realizadas. Está em estudo a possibilidade de elaboração de campanhas de conscientização dos consumidores e veiculação de alertas nas mídias sobre os riscos da comercialização de vacinas falsificadas contra a covid-19.

Com a expansão do comércio eletrônico, especialmente durante a pandemia, a comercialização de produtos pirateados no meio digital já é de conhecimento do comitê de combate à pirataria, que atua em conjunto com as polícias e Receita Federal.

A Senacon e a presidente do Conselho Nacional de Combate à Pirataria, Juliana Domingues, alerta sobre o perigo na aquisição de vacinas falsas. “A comercialização de vacinas falsificadas expõe a enorme risco a saúde e a segurança do consumidor, pois são produtos fraudulentos e sem qualquer eficácia comprovada. As autoridades sanitárias ainda não liberaram a comercialização de vacinas no Brasil, o que demonstra que sites que oferecem o produto podem estar tentando captar dados pessoais e bancários dos consumidores”, disse.

Com o anseio da população pela vacina, já foram identificadas tentativas de comercialização de produtos falsificados em todas as regiões do Brasil. Para reunir esforços conjuntos na prevenção e repressão à venda de vacinas falsificadas, o Conselho também solicitou apoio aos Procons e à Polícia Federal via ofício encaminhado neste sábado (16).

 

*Com informações do Ministério da Justiça e Segurança Pública

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.