RD Online
Anúncio Rádio RD Online
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
C-TEC REDENTORA
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
JP Celulares Redentora
RD ANÚNCIO G
Lancheria e Barbearia Stein
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Cervejaria da Praça
Casa Nova de Redentora
Cotricampo
Ceducar Centro Educacional Carla Renati Andriguetto
UNOPAR VESTIBULAR
Auto Posto Gemelli
Estofaria e Vidraçaria Fanezzi
CENTER MÓVEIS REDENTORA
ZÉ AUTOMÓVEIS
Lemarco
UNOPAR INFE
Joalheria, Floricultura e Casa das Linhas Pereira
Via Tec telecom
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Banner Site

Contribuição ao INSS muda em fevereiro; saiba quanto você vai pagar

Faixas de contribuição dos empregados com carteira assinada, domésticos e trabalhadores avulsos foram atualizadas para 2021

14/01/2021 08h40
Por: Depto de Jornalismo .
Fonte: O Sul
Foto: Marcello Casal Jr. | Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr. | Agência Brasil

Com o reajuste do teto dos benefícios pagos pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), de R$ 6.101,06 para R$ 6.433,57, as faixas de contribuição dos empregados com carteira assinada, domésticos e trabalhadores avulsos foram atualizadas.

Com o reajuste de 5,45% pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), quem ganha menos vai contribuir menos para o INSS, e quem ganha mais, vai contribuir mais.

Esses novos valores deverão ser recolhidos apenas em fevereiro, pois são relativos aos salários de janeiro. Os recolhimentos relativos aos salários de dezembro de 2020 e efetuados em janeiro deste ano ainda seguem a tabela anterior.

Vale lembrar que, com a Reforma da Previdência, essas taxas passaram a ser progressivas, ou seja, cobradas apenas sobre a parcela do salário que se enquadrar em cada faixa, o que faz com que o percentual de fato descontado do total dos ganhos (a alíquota efetiva) seja menor.

Por exemplo: um trabalhador que ganha R$ 1.500 mil pagará 7,5% sobre R$ 1.100 (R$ 82,50), mais 9% sobre os R$ 400 que excedem esse valor (R$ 36), totalizando R$ 118,50 de contribuição.

Com a correção, as novas faixas de cálculo da contribuição paga mensalmente por cada trabalhador serão: 7,5% para quem ganha até um salário mínimo (R$ 1.100); 9% para quem ganha entre R$ 1.100,01 e 2.203,48; 12% para quem ganha entre R$ 2.203,49 e R$ 3.305,22; 14% para quem ganha entre R$ 3.305,23 e R$ 6.433,57.

Simulações de contribuições

Emerson Lemes, diretor do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário, calculou como fica a contribuição para pessoas com diversos salários. Quem ganha até 1 salário mínimo pagará R$ 0,83 a menos por mês.

Já todos que recebem acima de R$ 6.433,57 pagarão a contribuição de R$ 751,99 – R$ 38,89 a mais em relação ao ano passado. Isso ocorre porque a contribuição é limitada ao teto da Previdência Social.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.