RD Online
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
UNOPAR INFE
Gordelícias
C-TEC REDENTORA
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
UNOPAR VESTIBULAR
Rafa Instalações
Casa Nova de Redentora
Ceducar Centro Educacional Carla Renati Andriguetto
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Cervejaria da Praça
Sicredi
Auto Posto Gemelli
ZÉ AUTOMÓVEIS
Via Tec telecom
CENTER MÓVEIS REDENTORA
JP Celulares Redentora
Lemarco
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Cotricampo
Anúncio Rádio RD Online
Banner Site

Polícia realiza operação contra o “golpe dos nudes” no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina

20/11/2020 17h38
Por: Depto de Jornalismo .
Fonte: O Sul
A ação ocorreu em Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Novo Hamburgo e Itapema. Foto: Polícia Civil/Divulgação
A ação ocorreu em Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Novo Hamburgo e Itapema. Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta sexta-feira (20), a Operação Insígnia para combater os crimes de extorsão sexual (golpe dos ndes) e associação criminosa no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

Foram cumpridos oito medidas cautelares nas cidades de Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Novo Hamburgo e Itapema (SC).

Conforme a polícia, o golpe dos nudes começa com o envio, para homens, de solicitações de amizade pelo Facebook de mulheres jovens e atraentes. Em um segundo momento, via WhatsApp, há o compartilhamento de fotos íntimas, que serão utilizadas na extorsão.

A vítima, então, passa a receber ligações dos supostos pais da menina e/ou de falsos policiais civis que a acusam de pedofilia, sob a alegação de que as fotos são de uma criança ou adolescente. Na extorsão, os ditos “familiares” exigem dinheiro para não denunciarem a vítima à polícia ou, identificando-se como delegados, a exigência é para arquivar os supostos inquéritos.

No caso investigado na operação desta sexta, houve uma sofisticação do crime, já que, no primeiro momento, ocorreu a encenação de um ambiente de uma delegacia de polícia, com a utilização de banner, camisetas, armas e insígnias da Polícia Civil, todas falsas, em que a mãe de uma menor de idade estaria no plantão de um órgão policial para denunciar a prática de suposto crime de pedofilia realizado pela vítima extorquida. Tal atuação por parte dos criminosos objetiva constranger, com a ameaça de que a vítima seria presa, caso não depositasse determinado valor ao falso policial civil.

A ação, realizada pela Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos do Departamento Estadual de Investigações Criminais, contou com a participação de 50 policiais civis. Dois criminosos foram presos: um homem em Itapema e uma mulher em Caxias do Sul.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.