RD Online
Cervejaria da Praça
ZÉ AUTOMÓVEIS
Ceducar Centro Educacional Carla Renati Andriguetto
Banner Site
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
Via Tec telecom
Casa Nova de Redentora
Gordelícias
Sicredi
Rafa Instalações
Cotricampo
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Auto Posto Gemelli
Lemarco
C-TEC REDENTORA
Anúncio Rádio RD Online
UNOPAR VESTIBULAR
UNOPAR INFE
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
CENTER MÓVEIS REDENTORA
JP Celulares Redentora
ALVARÁS FALSIFICADO

Polícia Civil prende advogado que teria sacado aproximadamente R$ 3 milhões em alvarás falsos no sul do Estado

O homem falsificava os documentos e depois sacava os valores em uma agência do Banrisul

18/11/2020 16h17
Por: Depto de Jornalismo
Fonte: Gaúcha ZH
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Policia Civil prendeu um advogado suspeito de falsificar alvarás e sacar aproximadamente R$ 3 milhões com supostas assinaturas falsas de juízes de direito de Canguçu no sul do Estado. O homem foi preso em uma operação deflagrada nesta quarta-feira (18), em São Sepé, para onde ele havia se mudado recentemente.

A operação Signatário combate os crimes de estelionato, lavagem de dinheiro e falsificação de documento público. A polícia está cumprindo quatro mandados de busca e apreensão, cumpriu a prisão preventiva do homem que não teve o nome divulgado e decretou a indisponibilidade de mais de R$ 2 milhões em bens do investigado.

— Ele é um advogado bastante conhecido em Canguçu, e a gente percebeu uma escalada nas práticas criminosas cometidas por ele. Ele começou com apropriação indevida de valores dos seus clientes, passou por estelionato e agora começou com alvarás fraudulentos — explicou o delegado titular de Canguçu, Cesar Nogueira.

Segundo a polícia, o criminoso produzia alvarás falsos, depois assinava com a própria assinatura de advogado, e concluía substituindo os nomes dos juízes da comarca da cidade. Durante a prática do crime, o homem sacou na agência do Banrisul de Canguçu aproximadamente R$ 3 milhões. Ele se apropriava da desinformação de uma servidora do banco que não sabia todas as formas de conferência sobre os alvarás e realizava o pagamento para ele.

O homem preso em São Sepé será deslocado até o sul do Estado onde ficará preso e irá prestar mais esclarecimentos a Polícia Civil. A investigação irá continuar buscando possíveis auxiliares do advogado na prática dos crimes em Canguçu.

 

Por GZH

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.