RD Online

WhatsApp

55996230597 -- 55999899863 -- 55997318413

Rafa Instalações
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Banner Site
Gordelícias
Cotricampo
Macali Brasil
TÁXI REDENTORA
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Ellas Engenharia
C-TEC REDENTORA
Ceducar Centro Educacional Carla Renati Andriguetto
Via Tec telecom
Cervejaria da Praça
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
Casa Nova de Redentora
Lemarco
Anúncio Rádio RD Online
CENTER MÓVEIS REDENTORA
UNOPAR VESTIBULAR
UNOPAR INFE
Auto Posto Gemelli
Gráfica Modelo
JP Celulares Redentora
ZÉ AUTOMÓVEIS
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional

Gaúchos vão testar a vacina de Oxford contra a Covid-19

16/09/2020 10h32
Por: Depto de Jornalismo .
Fonte: Agência Brasil
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou ampliar para 10 mil pessoas o número de participantes dos testes com a vacina de Oxford no Brasil. Inicialmente os testes no país previam a participação de 5 mil pessoas. 

A vacina recebeu este nome por ser desenvolvida em um consórcio com pesquisadores da universidade inglesa de Oxford. O laboratório por trás dos testes é o também britânico AstraZeneca.

Além do acordo para aquisição e fabricação do imunizante no país, o Brasil é uma das nações onde os testes estão sendo realizados. A instituição responsável por conduzir as análises com voluntários brasileiros é a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Até o momento, os testes eram realizados em São Paulo, no Rio de Janeiro e na Bahia. Com a ampliação do número de participantes, o imunizante será testado também no Rio Grande do Sul e no Rio Grande do Norte.

A agência reguladora permitiu também que o consórcio amplie a faixa etária dos participantes do ensaio clínico. Com isso, serão incluídos entre o rol de voluntários pessoas com idades acima de 69 anos.

Acordo

O governo federal fechou um acordo para a aquisição de insumos visando a fabricação da vacina no Brasil. Pelo plano inicialmente adotado, seriam adquiridos princípios ativos para 30 milhões de doses até o início do ano que vem e a transferência de tecnologia para a fabricação pela Fundação Oswaldo Cruz de mais 70 milhões de unidades do imunizante no ano que vem.

Há uma semana, o laboratório AstraZeneca suspendeu os testes com a vacina, em razão de reações adversas em um voluntário na Inglaterra. No sábado (12), a Autoridade Sanitária do Reino Unido autorizou a retomada dos testes e ontem o estudo recomeçou também no Brasil.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias