RD Online
UNOPAR VESTIBULAR
UNOPAR INFE
Auto Posto Gemelli
Macali Brasil
Ellas Engenharia
Gráfica Modelo
Gordelícias
Mecânica e Auto Elétrica Pampa
JP Celulares Redentora
Ceducar Centro Educacional Carla Renati Andriguetto
Banner Site
Casa Nova de Redentora
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
TÁXI REDENTORA
Cervejaria da Praça
Lemarco
Rafa Instalações
CENTER MÓVEIS REDENTORA
C-TEC REDENTORA
Anúncio Rádio RD Online
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
Cotricampo
ZÉ AUTOMÓVEIS
Via Tec telecom
REFORMA TRIBUTÁRIA

Diesel e GNV permanecerão com carga efetiva de 12%

Essa é uma ação necessária do ponto de vista do fisco gaúcho pela importância do diesel e do GNV nos custos de produção e de transporte.

14/09/2020 10h45
Por: Depto de Jornalismo
Fonte: Ascom Sefaz/Secom
Medida será adotada pela importância do diesel e do GNV nos custos de produção e de transporte - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Arquivo
Medida será adotada pela importância do diesel e do GNV nos custos de produção e de transporte - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Arquivo

Entre as medidas de simplificação dos impostos previstas na proposta de Reforma Tributária RS, está a adoção de apenas duas alíquotas nominais, a de 25% e a de 17%. Mesmo assim, o diesel e o GNV (gás natural veicular) permanecerão com a carga efetiva de 12%, praticada atualmente. Para isso, o governo do Estado implementará uma redução do valor sobre o qual é calculado o imposto (redução de base de cálculo) de forma a manter a carga em 12%, mudança já autorizada pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) por meio do Convênio ICMS 54, de 30/7/2020.

Essa é uma ação necessária do ponto de vista do fisco gaúcho pela importância do diesel e do GNV nos custos de produção e de transporte. Os combustíveis, de forma geral, representam cerca de 17% da arrecadação de ICMS no Estado.

Além disso, no final do ano a alíquota majorada de gasolina e álcool (30%) será substituída pela alíquota de 25%, gerando uma grande economia no bolso dos cidadãos. Considerando, por exemplo, que o preço do litro da gasolina comum seja de R$ 4,36 (preço de referência em 1° de setembro), o ICMS pago atualmente (30%) é de R$ 1,31. A partir de 2021, o ICMS (25%) passará a ser de R$ 1,02. Ou seja, uma diferença de R$ 0,29 em tributação por litro, o que equivale a R$ 14 para encher um  tanque de 50 litros.

Manutenção da carga tributária

As alíquotas de energia e telecomunicações também passam, no final do ano, de 30% para 25%. Se nenhuma reforma for feita, o RS perderá R$ 2,85 bilhões de arrecadação. Com o intuito de modernizar o sistema tributário e manter a receita nos patamares atuais, o governo do Estado está propondo o conjunto de medidas da Reforma Tributária RS.

Com a aprovação de todos os projetos, a carga de ICMS do Estado cairá em cerca de R$ 1 bilhão e o efeito de todas as alterações nas alíquotas significará que todas as faixas de renda pagarão menos ICMS do que pagam hoje, considerando os produtos consumidos em conjunto. A arrecadação será compensada com medidas que envolvem o IPVA e o Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD). 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias