RD Online
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Gráfica Modelo
Cotricampo
CENTER MÓVEIS REDENTORA
Anúncio Rádio RD Online
JBS S/A
JP Celulares Redentora
Banner Site
Gordelícias
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Casa Nova de Redentora
Cervejaria da Praça
Ellas Engenharia
Lemarco
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
Macali Brasil
Via Tec telecom
UNOPAR VESTIBULAR
C-TEC REDENTORA
Auto Posto Gemelli
Auto Posto Gemelli
Locutor Márcio Schimidt
UNOPAR INFE
AMEAÇA AO RS

Mais uma nuvem de gafanhotos aparece na Argentina

Esse é o quarto agrupamento em monitoramento pelo governo do país vizinho. Calor pode favorecer o deslocamento

02/08/2020 08h07
Por: Depto de Jornalismo
Fonte: Gaúcha ZH
Foto: Divulgação/Senasa Argentina
Foto: Divulgação/Senasa Argentina

O governo argentino identificou e passou a monitorar, ainda nesta sexta-feira (31), mais uma nuvem de gafanhotos no país. Ela está na província de Salta, que fica a cerca de mil quilômetros do Rio Grande do Sul, e se soma aos pontos já monitorados em Formosa, Chaco e Entre Rios. 

Embora já não seja mais considerada uma nuvem, é este último agrupamento, o de Entre Rios, que preocupa os gaúchos, por estar a apenas 98 quilômetros da fronteira com o Estado. Juliano Ritter, fiscal agropecuário estadual, afirma que os insetos estão isolados. Foi localizado um agrupamento em eucaliptos, que passou a ser controlado de forma terrestre com pulverizadores costais.  

Ritter explica que os insetos estavam parados em razão do frio, mas há uma tendência de eles se reagruparem e voltarem a se movimentar com o aumento da temperatura na região. 

— Os insetos precisam de calor para se movimentar, e o tempo volta a complicar a situação. Neste final de semana e durante toda a semana, teremos temperaturas elevadas.

O que está acontecendo na Argentina faz parte de eventos cíclicos: de tempos em tempos, eles sofrem com isso, e dura entre oito e 14 anos — já estão há cinco anos com essa situação, relata ele

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias