RD Online
Macali Brasil
Casa Nova de Redentora
Ellas Engenharia
Cervejaria da Praça
Banner Site
JP Celulares Redentora
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
Auto Posto Gemelli
Vital Seg Serviços de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional
Cotricampo
Gordelícias
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
UNOPAR VESTIBULAR
Locutor Márcio Schimidt
Lemarco
Auto Posto Gemelli
CENTER MÓVEIS REDENTORA
C-TEC REDENTORA
Anúncio Rádio RD Online
JBS S/A
Via Tec telecom
Gráfica Modelo
UNOPAR INFE

Eleições 2020: Confira o cenário político em Redentora

Convenção do MDB deve movimentar articulações no município

01/08/2020 09h29
Por: Depto de Jornalismo .
Fonte: Jornal Província
Foto: RD Foco
Foto: RD Foco

Nesta semana a Rádio Província entrevistou os presidentes de partidos do município de Redentora. Foram entrevistados o vereador Malberk Dullius (Nico), MDB; Luiz Carlos Cordeiro, PSDB; o vice-prefeito Jaime Jung, PDT e o vereador Vanderlei da Rosa, PT.

As entrevistas deixaram claro que a convenção do MDB está no centro das articulações políticas do município. O presidente do MDB confirmou que existe uma disputa interna entre o atual prefeito Nilson Paulo Costa e o próprio Malberk Dullius.

Nico disse que seu desejo de concorrer a prefeito veio do apoio de outros nomes, como os ex-prefeitos Marcos Giacomini e o Adelar Paschoal, que eram pré-candidatos e se retiraram para apoiar as suas pretensões. Ele também reconheceu que o partido está dividido e disse que faltou dialogo por parte do prefeito para acertar as coisas dentro do partido.

Já o presidente do PSDB, Luiz Carlos Cordeiro, afirmou que o partido está fechado com o grupo que já concorreu na oposição na última eleição, formada pelo PP, PTB e PSB. Ele disse que também está conversado com o PSL, que vai disputar a primeira eleição no município e o PT, que deixou o governo recentemente.

Candidato nas últimas duas eleições, Cordeiro disse que está à disposição do partido, mas que não vai impor sua candidatura e vai defender um projeto alternativo para o município. Ele também disse que os problemas internos do MDB, não influenciam no trabalho que a oposição está fazendo neste momento.

O atual vice-prefeito, Jaime Jung, presidente do PDT, afirmou que o partido já está acertado com o atual prefeito para manter a dupla que hoje administra o município, ou seja, Nilson como prefeito e o próprio Jung como vice.

Perguntado de como o partido se comportaria se Nilson Costa não tivesse sucesso nas convenções, ele afirmou que neste caso seria candidato a prefeito com o apoio do atual gestor do município.

Já o presidente do PT, vereador Vanderlei da Rosa, afirmou que o partido neste momento está na oposição, mas não confirmou que já esteja acertado com o bloco liderado pelo PSDB. Disse apenas que está conversando com todos os partidos e que a sigla tem nomes para compor uma chapa majoritária.

Ele disse também que as decisões do partido serão tomadas de acordo com as propostas que serão apresentadas para o município e que a sigla deve aguardar as decisões do MDB, uma vez que o PT saiu do governo em decisão do prefeito e não do partido em si.

Ainda está tudo muito indefinido em Redentora e muita coisa pode mudar até setembro, quando ocorrem as convenções, mas neste momento pode se afirmar que o MDB já deve ter grande importância mesmo na montagem das chapas.

Se os convencionais optaram pelo atual prefeito, a chapa parece já ser conhecida com a manutenção do parceria com o PDT e dali sairia a chapa Nilson e Jaime.

Se os convencionais optarem pelo vereador Nico, haveria a chance de uma reaproximação com o PT e isso poderia indicar uma chapa Nico e Vanderlei, apesar do MDB ter nomes disponíveis para uma chapa pura.

Neste cenário o PDT teria a candidatura de Jaime Jung, supostamente com apoio do prefeito Nilson. A questão é se o PDT conseguiria se aproximar dos partidos de oposição e encontrar um vice no PSDB, PP, PSL ou PSB. Apesar de não descartadas as chances desse acerto não são muito grandes.

O PSDB tem o nome de Luiz Carlos Cordeiro com pré-candidato e isso não é segredo. É até difícil de se pensar que Cordeiro não seria candidato por uma terceira vez seguida, uma vez que concorreu nas últimas duas em situações, talvez até mais adversa do que agora.

Ainda tem o PL e PSL, que são partidos novos, mas compostos por nomes que já são conhecidos na política local, com dissidentes, principalmente do MDB e do PDT.

Enfim, quando se trata de eleição de Redentora, o cenário ainda está bastante indefinido e as definições devem passar diretamente pela decisão interna do MDB.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias