RD Online
Anúncio Rádio RD Online
TELE ENTREGA DE GÁS E BEBIDAS DO JAIRO
Raynet Telecomunicações
UNOPAR VESTIBULAR
Cervejaria da Praça
Móveis Rústicos do Nego Claudio
CENTER MÓVEIS REDENTORA
Via Tec telecom
PADARIA E CONFEITARIA DOCE SABOR
Gráfica Modelo
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA
Gugui Confecções
UNOPAR INFE
JP Celulares Redentora
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
METALÚRGICA PORTELA
Nacional Gás Redentora
Macali Brasil
Banner Site
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA 2

Bolsonaro diz ter "brecha" para aumento do salário mínimo

Presidente discutirá assunto na tarde desta terça com o ministro Paulo Guedes

14/01/2020 14h59
Por: Josoel Silvestre
Fonte: Correio do Povo e AE
Bolsonaro irá se reunir com Guedes para definir aumento no salário mínimo | Foto: Sergio Lima / AFP
Bolsonaro irá se reunir com Guedes para definir aumento no salário mínimo | Foto: Sergio Lima / AFP

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira que o governo federal teria uma "brecha" para um possível aumento do salário mínimo e garantir a recomposição da inflação de 2019. Ele afirmou ainda que a ideia é garantir o novo valor e que isso será definido em uma reunião agendada para a tarde de hoje com o ministro da Economia, Paulo Guedes. A informação foi publicada no jornal O Estado de São Paulo.  

"Vou reunir com Paulo Guedes agora à tarde. Acho que tem brecha para a gente atender aí. Porque a inflação de dezembro foi atípica por causa do preço da carne", disse Bolsonaro em frente ao Palácio da Alvorada. 

Bolsonaro também foi questionado sobre se a intenção é recompor a inflação. "A ideia, no mínimo, é isso aí", resumiu. O chefe de Estado explicou que cada real elevado do mínimo tem um forte impacto no Orçamento, mas destacou que é preciso recompor este pagamento. "A cada R$ 1 reunido, há mais ou menos R$ 300 milhões no Orçamento. É barra pesada. Tem de recompor", analisou. 

Guedes deverá dar o sinal verde para o aumento do mínimo em 2020. O custo adicional deve ficar entre R$ 2 bilhões e R$ 3 bilhões. O salário mínimo foi fixado em R$ 1.039, com alta de 4,1%. O ajuste ficou abaixo do Índice Nacional de Preços ao Mercado (INPC) de 2019, de 4,48%, que serve como base para correção do salário mínimo. Se for dado o mesmo índice sobre o salário mínimo vigente em 2019, o valor subirá para R$ 1.042,71.