RD Online
Raynet Telecomunicações
JP Celulares Redentora
CS CLIMATIZAÇÃO EM TENENTE PORTELA
UNOPAR VESTIBULAR
PADARIA E CONFEITARIA DOCE SABOR
Gráfica Modelo
CENTER MÓVEIS REDENTORA
UNOPAR INFE
Macali Brasil
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA
Móveis Rústicos do Nego Claudio
METALÚRGICA PORTELA
Anúncio Rádio RD Online
TELE ENTREGA DE GÁS E BEBIDAS DO JAIRO
Cervejaria da Praça
Via Tec telecom
Banner Site
C-TEC ELETRÔNICOS E INFORMÁTICA 2
JL MÓVEIS E ESQUADRIAS REDENTORA
Gugui Confecções
Nacional Gás Redentora

Bolsonaro vetará trechos do projeto sobre abuso de autoridade

20/08/2019 11h37Atualizado há 6 meses
Por: Josoel Silvestre
Fonte: Portal Leouve
280
Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República
Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

O presidente Jair Bolsonaro tem até o dia 5 de setembro para sancionar, vetar trechos ou vetar integralmente o texto da proposta que define em quais situações será configurado o crime de abuso de autoridade. O texto foi aprovado na Câmara dos Deputados na última quarta-feira (14).

O presidente se reuniu com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, na manhã dessa segunda-feira (19), no Palácio da Alvorada, para discutir o projeto.

Bolsonaro já sinalizou que deve vetar diversos trechos da proposta, como o artigo que proíbe o policial de algemar suspeitos sem expressa ordem no pedido de prisão ou sem que haja resistência.

Antes da votação da proposta, o Ministério da Justiça indicou 11 artigos que poderiam vir a prejudicar as atividades da Justiça, do Ministério Público e da Polícia.

O líder do governo na Câmara, Major Vítor Hugo (PSL-GO), deve encaminhar dois documentos ao presidente. Em um documento, vai pedir o veto total. Se não for possível, no outro o deputado vai propor veto parcial ao projeto.

A Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) também está preparando um documento para encaminhar a Bolsonaro pedindo para o projeto ser vetado. Segundo a ADPF, o projeto vai gerar danos irreparáveis ao sistema de investigação e não deve ser aprovado.

Essa negociação é importante, pois mesmo com o presidente vetando pontos da lei, os parlamentares ainda podem derrubar esses vetos durante sessão conjunta da Câmara e do Senado, e os artigos voltariam a valer.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.